Por Dilu Bartolomeo Villela

Referência na arte de cozinhar, Dilú nos brinda com este excelente texto sobre os sabores do Brasil. Saboreie!


Sempre que vou a São Paulo, tenho a intenção (sempre frustrada) de conhecer o Brasil a gosto. Finalmente, nesse último fim de semana, tive o prazer de experimentar sabores realmente interessantes nesse restaurante.

A chef,  Ana Luiza Trajano, investigou pelo Brasil a fora o que há de mais genuinamente brasileiro na nossa riqueza gastronômica e desenvolveu o projeto Sabores do Brasil. O objetivo foi divulgar nossa cultura pela culinária, o que rendeu o restaurante Brasil a gosto, o livro de mesmo nome e um documentário.

O Brasil a gosto fica localizado em uma rua tranquila dos Jardins, porém difícil de achar. Aconselho antes de sair, perguntar ao taxista se ele sabe onde fica ou levar esse mapinha. Aconselho também que se faça reserva.

O ambiente sintoniza com a proposta do restaurante num clima simples, rústico, aconchegante e ainda assim, moderno.

A proposta é mostrar o “Brasil que o Brasil não conhece”. Sabores de diferentes regiões brasileiras são apresentadas de forma moderna e surpreendente. Muito bom! A chef difunde essa gastronomia regional lançando originais menus de tempos em tempos. Seria quase impossível ter essa diversidade em apenas um cardápio. Muito bacana! Ela seleciona a região e a homenageia com toda sua criatividade. Tive muita vontade de pedir tudo, principalmente o prato do dia que era Picadinho com seu ovo frito, mas… fui lá por causa de sabores que eu não conhecia, por isso, escolhi o Menu do Acre.

Portugal, por ter deixado forte herança em nossa culinária,é o próximo tema que a chef elegeu para o Brasil a gosto. Será um menu preparado por ela e Vitor Sobral, do restaurante Tasca da Esquina. Dois craques, mas na minha opinião (e quem sou eu para opinar?) o Brasil é tão rico em ingredientes. Por que não manter a proposta inicial e continuar valorizando o que é nosso? Diz ela: “Nesta edição, os ingredientes são nossos velhos conhecidos como o bacalhau, a sardinha…..”. São nossos velhos conhecidos, mas não são nossos. Pra falar uma verdade, eu nem nunca consegui comprar uma boa sardinha. Talvez possa ser pela dificuldade em conseguir produtos da terrinha. É mais fácil trabalhar com uma sardinha importada do que adquirir um tucupi.

Voltando ao que interessa, que é o atual menu, só o couvert já vale a ida: chips de batata doce e mandioca, biscoito polvilho, mini broinhas de moranga com alecrim, queijo cremoso, manteiga temperada e uma outra coisa que pensei que não fosse esquecer, mas esqueci.

Miniquibe de mandioca com molho de pimentas acreanas

 

Para o Luiz vieram pasteizinhos de queijo canastra com vinagrete de tomate e três tipos de pimenta, que tb esqueci de fotografar.

Lombo de tartaruga laminado e marinado em azeite com emulsão de óleo de castanha do Brasil, chicória da Amazônia, alfavaca e crocante de mandioca

São tartarugas vindas de cativeiro legalizado pelo IBAMA. A carne parece um pouco com frango, e para o meu gosto estava um pouco insosso. Coloquei o vinagrete de tomate do prato do Luiz Guilherme, o que conferiu sabor dando um toque atraente.

Caldeirada de pirarucu e feijões acreanos com leite de castanha e farofa de mandioca de Cruzeiro do Sul.

O feijão tem gosto incisivo, por isso não combinou com a delicadeza do peixe. Achei o prato maravilhoso e completo só com o leite de castanha e os brotinhos.

Para o Luiz veio uma salada, meio boba que tb esqueci de fotografar e depois veio essa de-lí-ci-a!

Arroz cateto com feijão verde, palmito pupunha e banana grelhada.

Amo tucupi. Para mim é o sabor mais deslumbrante que já tive oportunidade de experimentar até hoje. Ainda não conheci um ingrediente mais saboroso. Aprendi, por conta própria, como preparar e desde então, sempre invento uma nova maneira de servi-lo. Quando li que o Brasil a Gosto tem Rabada com Tucupi… Não resisti, mas…. Que peninha! Que decepção! A rabada foi desfiada além do necessário, a farofa de mandioca não casou com o purê, mas a frustração mesmo ficou por conta do sabor do tucupi que não apareceu, nem deu o ar da graça.

Rabada ao tucupi com purê e farofa de mandioca

Para sobremesa bolo quente de massa de mandioca com o gramixó, que é o açúcar mascavo acreano. Imagino que deva ser uma boa sobremesa, mas nesse dia deve ter dado alguma coisa errada. Quero voltar e repetir para tirar essa dúvida.

Beléu com caldas de cajá e açaí, sorvete de banana comprida e crocante de castanha do Brasil

Para o Luiz essa sobremesa deliciosa

Tortinha de farinha de caju com chocolate cremoso, geleia de bacuri e calda de pitanga

 

No final vem essa moça linda e nos oferece mini mini bonequinhos que trazem sorte, amor, dinheiro… Charmoso, lúdico, alegre e nos deixou muito felizes! Indicar um lugar como esse dá prazer, apesar de uns pequenos deslizes que, de forma alguma, comprometem a experiência. Espero que gostem!

[puregallery]
Brasil a gosto R. Professor Azevedo do Amaral, 70 | Jardins – SP – SP
Reservas (11) 3086-3565
http://brasilagosto.blogspot.com.br/p/menu-paraiba.html