Uma salva de palmas pro nosso queijo canastra!

Ganhou nessa semana, a medalha de prata, na categoria massa prensada não cozida de leite cru de vaca, em Tours França.Unknown-1

O produtor de queijos há 4 anos Guilherme “Capim” Ferreira de 28 anos, foi o primeiro brasileiro a conquistar a medalha num dos principais concurso de queijo do mundo o “Mondial du Fromage de Tours”.

Esse queijo é produzido em São Roque de Minas, chamado de Instância Capim Canastra.
Concorrendo com queijos como o francês Saint-Nectaire, o espanhol Manchego e a raclette suíça.
O mineiro nao fez feio e encantou os jurados com seu sabor de fazenda,’um gosto de terra, agradável, de relva’, como bem disse Fabienne Effertz da Belgica.Unknown-2

“Capim” como é conhecido o produtor mineiro, destaca “a magia do terroir da Canastra “
“o local é essencial para produzir um queijo especial”
Os mestres quejeiros de lá não conheciam esse paladar mineiro, brasileiro, diferente dos queijos europeus que participaram do concurso.

Uma outra vitória desse jovem produtor mineiro foi a conquista do selo Sisbi,necessário para comercialização do produto fora de Minas.Unknown

Produto artesanal, sua maturação leva 22 dias, e Guilherme não tem a intenção de aumentar sua produção, priorizando assim a qualidade dele.
O leite e o pingo _fermento natural,vem da própria fazenda em São Roque de Minas, o soro é retirado da produção do dia anterior e o coalho é de origem animal.
Isso faz toda a diferença desse queijo canastra mineiro que atravessou as fronteiras, fazendo sucesso na França.