Provar um desses docinhos é uma experiência gastronômica das mais agradáveis. Primeiro quebramos a camada lisa de açúcar crocante, em seguida sentimos o sabor ligeiramente amargo da laranja, o perfume do melão misturados ao creme espesso com amêndoas e para terminar um biscoito tão fino e delicado como uma hóstia.

É uma especialidade de Aix-en-Provence, cidade localizada ao Sul da França.Muito se discute em relação à origem do nome ”Calisson”.Uma primeira alusão ao Calisson remonta ao século XII. Um texto em Latim Medieval utiliza o termo Calisone para designar um doce de amêndoas parecido com o Marzipan ou Maçapão atuais. A iguaria teria sido trazida da Itália para Aix-en-Provence em meados do século XV.

Uma das hipóteses é que em 1454, no segundo casamento do Rei René d’Anjou com a jovem de 22 anos Jeanne de Laval, o chefe confeiteiro real serviu esta iguaria para animá-la. A futura rainha que estava insatisfeita por se casar com um homem de 45 anos, para surpresa geral, esboçou um sorriso ao saborear um desses câlins (carinho, em francês). O docinho ficou com esse nome e ainda o casamento foi muito feliz e durou 26 anos.

Outra hipótese é que durante a peste de 1630, para prevenir a epidemia em Aix-en-Provence, o padre Martelly consagrou a cidade à Nossa Senhora e prometeu a Ela uma homenagem todos os anos. No fim da missa, os Calissons abençoados eram distribuídos enquanto o povo cantava em latin “Venite ad Calice”. O “venha ao cálice” foi aos poucos se distorcendo e se tornando “venha aos calissons” e desde essa data, em todo primeiro domingo de setembro, a cidade renova a promessa feita à Maria na igreja de Saint Jean de Malte em uma missa sempre seguida de uma festa popular.

Em 1874, o Patisseur Suiço , Leonard Parli, desenvolveu e implantou a primeira fábrica do doce em Aix-en-Provence. e de lá para cá , o pequeno doce é exportado como uma rica iguaria para todos os continentes .

Calissons

Por 7 de dezembro de 2012

Adaptações:

Caso não encontre o melão cristalizado, substitua por damascos.

A massa de Pão Ázimo pode ser substituída pela Massa Fillo (Arosa).

 

Para quem está em São Paulo, o Mercadão Municipal é uma ótima opção para comprar frutas secas e amêndoas moídas.

Se quiser provar os verdadeiros Calissons d’Aix-en-Provence sem ter que ir à França, poderá encontrá-los no Empório Santa Maria (Av. Cidade Jardim, 790, Jd. Paulistano, em São Paulo)

 

Instruções

Misture a farinha de amêndoas, o açúcar de confeiteiro e a água de flor de laranjeira e cozinhe em fogo baixo, mexendo até a mistura soltar do fundo da panela (cerca de 8 minutos). Deixe esfriar.

Corte as frutas cristalizadas em pedaços pequenos e finos e misture com a pasta de amêndoas (pode usar a batedeira) até obter um doce homogêneo.

Forre uma assadeira com os pães ázimos, despeje a mistura do doce, espalhando com o auxílio de uma espátula levemente úmida e deixe descansar por 48 horas em local seco e frio.

Misture bem o açúcar de confeiteiro e meia clara (sem bater) com um garfo. Espalhe essa cobertura com uma espátula sobre a massa de doce já seca, alisando bem, fazendo a “crosta de gelo real” e deixe secar por 1 hora.

Corte os calissons com um cortador de biscoitos ou uma faca, em forma de diamante (molhe um pouco o cortador para não grudar no doce).

Coloque-os em uma assadeira e leve ao forno pre-aquecido a 130 ° C por 5 minutos, para a cobertura de açúcar endurecer, sem dourar.

Deixe esfriar antes de servir. Guarde em recipiente bem fechado, longe de umidade.

Imprimir
icone-imprimirimprimir receita

Adicionar aos favoritos