Por Valéria Amaral

O Ghee é doce, refrescante e tem reação doce. É um produto feito a partir da purificação da manteiga de leite de vaca ou da manteiga de leite de qualquer outro animal mamífero. A sua vasta utilização é bastante ampla dentro da cultura indiana – como na fitoterapia, na cosmética e um importantíssimo artigo das cerimónias ritualísticas hinduístas. Existem várias maneiras de denominá-lo: óleo purificado da manteiga, manteiga clarificada, emoliente básico, manteiga de garrafa, usli-ghee.

Nos “Shastras” (escrituras sagradas antigas da Índia), especialmente para o Ayurveda (ciência médica tradicional milenar indiana), o Ghee tem diversas funções terapêuticas: é pesado, se tomado em excesso aumenta Kapha (i.e., engorda), se tomado moderadamente é bom para Vata, Pitta, Kapha, controla todos os “doshas”. Possui propriedades altamente rejuvenescedoras das células, incrementando a longevidade, melhora a memória, a discriminação da inteligência, fortalece os tecidos, incrementa a fertilidade. É excelente alimento para a voz e para a garganta.

O Ghee é muito importante para o crescimento das crianças por promover a construção dos sete “Dathus”(tecidos) (os sete tecidos são: sangue, plasma, músculo, gordura, osso, medula e nervos, tecidos reprodutores).

Funções terapêuticas:

Intoxicação, erupções, cortes, queimaduras, herpes, úlceras, febres, enfermidades do peito, problemas mentais, obstipação, dores de cabeça, problemas dos olhos e ouvidos, tónico pulmonar. O Ghee é largamente utilizado na fitoterapia tradicional, servindo como veículo para as ervas adequadas para cada problema. As ervas são maceradas ou fervidas junto com o Ghee, em seguida administra-se uma colher de sopa ou um cálice diariamente dependendo do caso. O Ghee pode ser usado também como óleo para massagem e na confecção de máscaras terapêuticas na cosmética natural.

O Ghee na culinária é um excelente elemento para abrir o apetite, aumenta o sabor de todos os alimentos. De maneira bastante simples, o Ghee pode ser utilizado para todos os tipos de preparações culinárias da mesma maneira que os outros óleos e pode ser usado em menor quantidade. O Ghee, por não ser um óleo saturado, torna-se bastante assimilável e não contém colesterol (nem aumenta o colesterol).

 

 

 

 

Ghee Óleo de manteiga purificada (lê-se “gui”)

Por 17 de junho de 2012

Ingredientes

Instruções

Modo de fazer

Esquentar numa panela, em fogo brando, 400 g de manteiga sem sal.

Mexer com uma colher até derreter toda a manteiga.

Aumentar o fogo. Quando começar a ferver e a superfície ficar coberta por uma espuma branca, mexer devagar e baixar o fogo ao mínimo.

Ferver sem mexer (cerca de 45 minutos) até que os resíduos (proteínas) depositados no fundo da panela adquiram uma cor marrom dourada e manteiga em cima fique transparente.
Apagar o fogo e coar numa vasilha. O coador deve ser uma peneira bem fina ou um pano de linho pra não deixar passar nenhum resíduo, evitando assim que o ghee fique rançoso com o tempo.
Guarde numa vasilha bem tampada para evitar a entrada de ar.

Duração: 4 meses fora da geladeira.

A fervura separa da manteiga a água (que evapora), resíduos (proteínas do leite, que se acumulam no fundo da panela) e a gordura pura, que é a manteiga clarificada ou ghee. Fervendo a manteiga por tempo prolongado não só promove esta separação, mas proporciona também  um aroma muito especial.

O Ghee pode ser usado para regar uma salada de legumes ou salada verde, no preparo de bolos, tortas e massas e em muitas outras receitas.

Eu uso sempre ghee para fazer qualquer prato.

Imprimir
icone-imprimirimprimir receita

Adicionar aos favoritos